Três gerações e a certeza de continuar no campo


Familia Mazur, uma das participantes do piloto do Herdeiros do Campo.


Há três gerações, a família Mazur cultiva soja, milho, feijão, tabaco, batata e cebola na comunidade Laranjal, a 12 quilômetros de Rio Negro, região Sudeste do Paraná. O legado começou com o avô Eduardo, natural de Campo do Tenente, a 22 quilômetros de Rio Negro.

Ligado a terra, o descendente de imigrantes poloneses sempre incentivou os três filhos desde pequenos a trabalhar na propriedade, mas apenas Antônio permaneceu na atividade. “Nós precisamos dos filhos para dar a continuidade do negócio”, observa Eduardo. Apesar da idade avançada, Eduardo ainda continua na labuta.

Os netos Marcos Antônio e Fabiano Mateus seguem os passos do avô e do pai Antônio, na propriedade de 62 hectares. “Sempre tivemos a preocupação de manter os nossos filhos na propriedade rural”, afirma Antônio.

Marcos Antônio já está cheio de certeza sobre o seu futuro.

“Quero continuar trabalhando no campo.”

Foi no programa Herdeiros do Campo que ele passou a ter um novo olhar sobre a propriedade rural e a valorizar mais a patrimônio da família. “Não me imagino fazendo outra coisa e, depois do curso, o meu objetivo é elevar a produtividade das nossas lavouras. O trabalho no campo é remunerador, basta ter vontade de trabalhar”, revela o jovem.