Uma nova história



O processo de sucessão familiar, quando Celiomar Dallagnol passou a administrar a propriedade de 62 hectares no município de Realeza, Sudoeste paranaense, não foi dos mais tranquilos. “Meu pai era fechado. Decidia as coisas e pronto. Ele passou a propriedade para mim no ‘tranco’. Não tive o preparo que o meu filho está recebendo”, recorda Celiomar.

Agora ele busca um processo diferente. Celiomar, a esposa Dioniles e o filho Henrique foram buscar conhecimento para uma transição mais tranquila. O diálogo, aprimorado ao longo do programa Herdeiros do Campo, é o principal mecanismo para a continuação da propriedade rural da família Dallagnol. “Hoje a gente conversa e define junto”, reafirma o patriarca.

Os frutos dos conhecimentos repassados ao longo do curso já estão se transformando em projetos reais na propriedade aonde numa área de 44 hectares produzem milho e soja no verão e aveia e trigo no inverno. O restante é pasto para os 60 animais, sendo 30 em lactação. A produção é de 12 litros de leite por dia por animal. Até mesmo as dúvidas em relação à parte jurídica foram sanadas nas aulas. “A gente estava fazendo a escritura da propriedade e aprendemos no curso, na parte de leis, que o ideal é fazer uma doação”, diz Celiomar, que explicou à filha caçula os motivos de Henrique, o primogênito, ter sido o escolhido como sucessor.

 

“A Endianara participou de todo o processo. Nós explicamos tudo, para ela saber o que está acontecendo e evitarmos problemas na família.”

O sucessor Henrique, com diversas capacitações do SENAR-PR no currículo como o Programa Empreendedor Rural (PER), reconhece a transformação que o curso trouxe para sua vida. “Muitas vezes, eu não ficava sabendo o que meu pai fazia. Agora eu participo de tudo, tanto operacional como estratégico, para saber fazer quando for o sucessor. Você sai com outra visão do negócio”, destaca.